PT \ EN

A Natureza da Margem

Bete Marques Gezo Marques José Gonçalves

A Natureza da Margem, exposição com curadoria de José Aparício Gonçalves, é uma viagem colectiva a um mundo oculto regido pela sexualidade e a natureza, as obras de cada artista são testemunhos individuais dessa incursão misteriosa. Guiamos os visitantes por um gabinete de curiosidades que descreve e classifica esse ambiente através do conjunto multidisciplinar de obras.
Frederico Pompeu ilustra-nos um mundo botânico fantástico, trazendo consigo alguns desses espécimes exóticos, já com registo fotográfico analógico Pedro Ivan dá-nos a ver corpos humanos através de uma radiografia botânica, num jogo de fusão entre corpos humanos e flora criando figuras míticas.
Entidades de todas as formas desfrutam desde mundo, Gezo Marques esculpe-nos corpos de madeira que emergem da densa vegetação, Margarida Oliveira utiliza a azulejaria numa interessante abordagem sobre o corpo feminino, José Gonçalves com as suas imagens conta histórias de prazer e com o registo vídeo de Tales Frey somos transportados para rituais onde o corpo entra em diálogo com o meio ambiente.
Bete Marques mostra o coração desse mundo vegetal fabricando jardins em madeira e Rita Feliciano constrói com tecido uma grande figura humana da qual brota uma natureza luxuriante. Percebemos que este é um mundo que se faz de corpos humanos em diálogo com essa ideia utópica de uma natureza primitiva, porque é em corpos que vivemos, somos e nos relacionamos com o mundo, é em corpos que temos prazer e fé.

A exposição decorreu entre 17 Setembro e 1 Outubro em parceria com o festival Queer Lisboa e o Bairro das Artes.